quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Especial Cinco Vias de São Tomás de Aquino - 3ª Via - A Via da Necessidade e Contingência


Bom dia, boa tarde ou boa noite a você, caro leitor do blog "O Religioso Crítico". Hoje darei continuidade ao especial que iniciei no mês passado (setembro). Muitas pessoas estão gostando dos textos e me agradecendo por disseminar a informação bem mastigada para facilitar o entendimento, como tenho feito nesse especial. Isso está me deixando muito contente e motivado para continuar a escrever. Entretanto também tenho uma vida lá fora, então não posso me dedicar ao blog mais do que tenho feito ultimamente. Se talvez um dia eu ficar muito rico eu prometo me dedicar mais ao blog (hahaha).

Voltemos ao artigo de hoje, que vai tratar sobre a terceira via, a Via da Necessidade e Contingência, que posteriormente deu origem ao que conhecemos hoje por Argumento Cosmológico. Recomendo aos leitores que ainda não leram os artigos anteriores sobre a primeira e segunda vias, que os leia antes de prosseguir.


Para ler o artigo da primeira via, ou Via do Movimento, clique aqui.
Para ler o artigo da segunda via, ou Via da Primeira Causa Eficiente, clique aqui.

Santo Tomás de Aquino afirma que a terceira via se baseia no possível e no necessário. Vamos então aos textos:


"Encontramos dentre as coisas algumas que podem ser ou não ser..."

Para entender bem essa frase precisamos introduzir alguns conceitos que ainda não foram vistos anteriormente, que são os conceitos de necessidade e contingência. Algo é necessário quando ele não pode não existir, pois é uma condição necessária para que outras coisas existam. Algo contingencial é algo que pode não existir sem que isso tenha alguma consequência séria no mundo. Por exemplo, um objeto qualquer, como uma livro ou uma caneta, são coisas que podem existir ou deixar de existir sem que isso faça diferença alguma na ordem da realidade.

"É impossível que todas as coisas existam sempre, pois o que pode não ser alguma vez não é. Se todas as coisas podem não ser, alguma vez nada existiu. Se assim fosse, na verdade, também agora nada existiria, pois o que não existe não começa a existir senão a partir de algo que existe."

Basicamente, temos aqui uma das premissas que constituem o Argumento Cosmológico. O que São Tomás quer dizer é que o nada não existe, por isso nada pode vir a existência do nada. A isso também podemos aliar a Lei de Lavoisier, ou Lei da Conservação da Matéria, que é mais abordada no post do Argumento Cosmológico.

"Se, entretanto, nada existia, seria impossível que algo começasse a existir, e assim nada absolutamente existiria, o que é evidentemente falso. Portanto, nem todos os seres são possíveis (contingenciais), mas é indispensável que algum seja necessário."

Se o nada existiu em algum momento na história, então ele sempre existiu, e deve existir até hoje. É claro para nós que o nada não existe hoje, então ele nunca existiu na história. Dizer que o universo veio do nada é absurdo. Algum Ser necessário sempre existiu, para que as outras coisas pudessem vir a existência a partir desse Ser.

A ideia de um Universo infinito no passado também é impossível, como já foi demonstrado anteriormente nos artigos que tratam da primeira e segunda vias. Existem argumentos tanto filosóficos quanto científicos (big-bang) que atestam a impossibilidade de um passado infinito na história do Universo.

"Logo, é necessário admitir algo que seja necessário por si, não tendo fora dele a causa de sua necessidade, antes pelo contrário, que seja ele mesmo a causa da necessidade dos outros: a este ser todos chamam de Deus."

Concluída a argumentação, vamos para o silogismo, onde tudo fica mais claro e fácil de ser visualizado:

1- As coisas podem ser ou necessárias ou contingenciais;
2- Coisas contingenciais podem não existir;
3- Nem tudo é contingencial, pois se assim fosse, um dia no passado nada existiu;
4- Se o nada um dia existiu, hoje nada existiria, pois nada pode vir a existir do nada;
5- Logo, algum Ser necessário sempre existiu, para que as outras coisas pudessem vir a existência a partir d'Ele;

6- Esse Ser todos chamam de Deus.

É isso, pessoal. Qualquer dúvida ou qualquer sugestão basta escrever um comentário logo abaixo ou enviar-me um e-mail, se assim desejar. No próximo post trataremos da quarta via, a Via da Perfeição, ou do Ser Perfeito. Espero que o texto tenha ajudado vocês. Obrigado, fiquem com Deus e até a próxima!

Todas as citações foram tiradas do livro de São Tomás de Aquino, Suma Teológica, livro 1, questão 2, artigo 3.

3 comentários:

  1. para mim, é o melhor dos argumentos!

    ResponderExcluir
  2. Amei o blog, se puder colocar mais relatos e exemplificar assim como o de São Tomás de Aquino seria muito bom para todos nós leitores.

    ResponderExcluir

Você também pode gostar de