terça-feira, 13 de março de 2012

Crítica #5: Retirada de crucifixos e símbolos religiosos no RS

Era só o que me faltava...

Acredito que é impossível me manter calado por mais um minuto que seja. Não posso olhar esses últimos acontecimentos como notícias corriqueiras, que nada influenciarão em minha vida. Essa história de retirar símbolos religiosos de locais públicos já me tirou a paciência, não suporto burrices.

Mais uma vez fica provada a estupidez daqueles que fazem e votam nossas leis. Foi proibida, no Rio Grande do Sul, a presença de crucifixos e símbolos religiosos em todos os prédios do poder judiciário. A decisão foi unânime e inédita no país, ou seja, é a primeira vez que isso ocorre no Brasil.



Vejam só de quem foi essa "grande ideia"

Essa ideia foi sugerida pela chamada "Liga Brasileira de Lésbicas". Não satisfeita, a entidade ainda pede a retirada dos crucifixos dos prédios públicos de todo o estado, da assembléia legislativa e da câmara de vereadores da capital Porto Alegre. Agora eu me pergunto: o que a Liga Brasileira de Lésbicas tem a ver com isso? Porque motivo elas pediram a retirada dos símbolos religiosos?


Não é difícil de se enxergar nessa atitude da LBL a enorme dose de perseguição religiosa. Afinal, o que uma organização formada para lutar pela "garantia da livre orientação afetivo-sexual" (Como dito no site da organização) tem a ver com religião? Confesso que é difícil estabelecer alguma ligação. Mais difícil ainda é entender porque o legislativo do Rio Grande do Sul acatou a um pedido de uma organização que não sabe nada, absolutamente nada, sobre religião, e menos ainda sobre leis.

Analisemos por alguns instantes a declaração em entrevista da representante da LBL, Ana Naira Malavolta:

"Ele (o crucifixo) é uma afronta à inexistência de fé. Por exemplo, os ateus e agnósticos não têm fé."

É, realmente a Sra. Ana não possui sequer um pouco de conhecimento sobre filosofia. Não sei de onde ela conseguiu tirar a expressão "inexistência de fé". Também é igualmente lamentável a parte em que ela diz que ateus e agnósticos não têm fé.  Talvez ela nem saiba o que significa fé. Tratei exatamente sobre isso em meu último post Fé, Fanatismo e Fundamentalismo.

"Também é uma afronta à todas as outras religiões que existem no Brasil."

Já era de se esperar um discurso de minorias oprimidas por parte da representante da LBL. Vivemos em um país onde é garantido por lei o direito de livre expressão religiosa. Então quer dizer que agora não posso mais andar com um crucifixo no peito porque estarei desrespeitando os muçulmanos? E desde quando o símbolo da Cruz é uma afronta à alguma coisa?

Afinal, o que é o Estado Laico?

Deixando um pouco de lado a perseguição religiosa praticada pela LBL, vamos focar no assunto tratado. Muitos defendem essa causa sob a afirmação de que "vivemos em um Estado laico". Mas poucos sabem, de fato, o que é um Estado laico. O termo "laicidade" significa neutralidade, e ser neutro não é a mesma coisa que ser ateu. Vivemos em um Estado laico, mas não em um Estado anti-religioso ou ateu. O Estado laico serve para garantir a liberdade de expressão religiosa, e não para proibi-la. Também vale lembrar que, para os ateus, agnósticos ou os que professam uma outra fé, aquele símbolo na parede nada representa, é como um quadro ou uma obra de arte. Não influencia em nada nas decisões do poder público.

É natural a presença de símbolos religiosos Cristãos em um país de formação Cristã. O Brasil foi construído pela Igreja. A Igreja esteve presente no Brasil antes mesmo de qualquer tipo de governo. O Cristianismo, em particular a Igreja Católica, construiu essa civilização. Nossos costumes, nossos valores e nossas leis são embasadas no cristianismo.

Imagino qual será o próximo passo da LBL e dos neo-ateus que suportam essa lei da intolerância religiosa. Talvez queimar a constituição, que foi promulgada "sob a proteção de Deus". Ou talvez rasgar dinheiro, não é? Afinal, está escrito "Deus seja louvado" na cédula. Mudar o nome de ruas e praças, como a Praça da Sé. Mudar o nome de cidades, como São Paulo. Mudar o nome de estados, como Espírito Santo. Retirar os feriados religiosos, como o Natal e a Páscoa. Fechar a PUC, as universidades, colégios e hospitais Católicos, considerados os melhores do país. Acabar com as obras sociais da Igreja, como a Pastoral da Criança. Ou ainda, quem sabe, implodir o Cristo Redentor?!

ISTO TEM QUE PARAR!!!

Acordem, meus caros amigos. Vivemos em um país de maioria Cristã (cerca de 90% da população). Nossas leis são baseadas na Moral Cristã. A Igreja construiu essa civilização (leia mais no post Análise da palestra de Olavo de Carvalho). O direito de liberdade religiosa é previsto por lei em nosso país. O Brasil tem um governo laico e não um governo ateu e anti-religioso.

Vamos dar um basta nessa intolerância e perseguição religiosa! É muito fácil querer exterminar a Igreja da sociedade depois que ela já a construiu. Vamos dar um pouco mais de valor à herança histórica que a Igreja deixou para nós.

5 comentários:

  1. 90% Cristã já vi por que este país é uma merda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente, tome cuidado com o linguajar, meu caro. Você não pode falar do jeito que quiser com as pessoas. Só aceitei seu comentário porque nele há uma enorme falha que quero corrigir.

      Correlação não é causa, aprenda isso. O fato do Brasil ser um país de maioria Cristã não é a causa de seus problemas políticos e sociais. Um mínimo de estudo de filosofia te impediria de escrever tamanha asneira.

      A controvérsia de seu argumento se dá quando analisamos países superdesenvolvidos, como os EUA, que é um país majoritariamente religioso. Ainda há diversos países da Europa que também se encaixam nisso, como a Itália por exemplo. A Itália é um país de maioria Católica, no entanto é uma economia muito poderosa e um lugar maravilhoso de se viver. Em contrapartida, vemos países de governos declarados ateus que vivem em péssimas condições, como Cuba, China, Coréia do Norte e Venezuela.

      Excluir
    2. 90% cristã...e 10%cristãos por osmose. Aqueles que desfrutam, seguem, alguns conceitos cristãos na vida por influencia da religião na formação da sociedade, mas não são cristãos de fato.
      É, o cristianismo só é visto como algo ruim por quem desconhece a fonte dos próprios conceitos que segue e forma durante a vida...

      Excluir
  2. Todo esse movimento de minorias intolerantes (homossexuais, neo-ateus e afins) tem mais voz que a maioria da população. Motivos: governo de espirito marxista somado a vontade frouxa da maioria dos religiosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho que concordar com você, Fernando. As minorias oprimidas têm mais voz que nós, e isso é culpa nossa, porque nos calamos diante de fatos absurdos e inaceitáveis como esses citados no post. Lamentável...

      Excluir

Você também pode gostar de