quinta-feira, 18 de agosto de 2011

divindades politeístas

Essa também é comum, e também é bem parecida com uma outra já esclarecida, a técnica do Amigo Imaginário.

Vamos ver um exemplo clássico:

Neo-ateu - Por que você acredita em Deus e não acredita em Zeus, Rá, Thor... etc, etc, etc...???

Primeiramente, por ser uma questão pessoal, já é falha. Mas há maneiras de refutá-la.

A refutação é simples. Partindo do princípio, Deus é um ser pessoal, transcendental e necessário. A discussão não segue na mesma esfera. Por exemplo, Zeus é um ser físico, com características físicas e foi um ser causado, pois é filho de Cronos, segundo a mitologia grega. Deus é um Ser imaterial e não-causado, ou seja, não está no plano físico, mas no metafísico.

Além disso, eu posso justificar minha crença com base nos argumentos racionais que indicam a existência de Deus. As demais divindades (com letra minúscula mesmo) não possuem argumentos que indicam sua existência.

Neo-ateu - Por que você acredita em Deus e não acredita em Zeus, Rá, Thor... etc, etc, etc...???
Teísta - Porque existem argumentos racionais que apontam para existência de Deus, como o Argumento Cosmológico, por exemplo.
Neo-ateu - E os outros fiéis também podem usar os mesmos argumentos, pois Zeus é "Deus" para eles.
Teísta - Não, pois o Ser que estes argumentos defendem é um Ser transcendental, imaterial, entre outras características que as divindades politeístas não possuem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você também pode gostar de